domingo, 7 de setembro de 2014

Receita: Panqueca de chocolate dukan

Bom dia amores!

Bom hoje acordei morrendo de vontade de comer um docinho. Fui pesquisar algumas receitas da fase de
ataque da dieta dukan, foi então que tive a idéia de fazer uma panqueca de chocolate.

Ingredientes:
- 2 claras
- 1 colher de adoçante (Uso tal e qual)
- 1 colher de cacau em pó

Calda:
-1 colher de café de cacau em pó
- 1 colher de café de adoçante
-3 colheres de café de água

Modo de preparar:
Misture todos os ingredientes da massa, coloque em uma teflon, ou qualquer panela que não grude.
Assim que ficar pronta, coloque os ingredientes na calda em uma vasilha que possa ir ao microondas,
aproximadamente 10 segundos. Coloque a calda no meu e por cima.
Ficou divina, simplesmente amei. Quem usa Whey pode colocar no lugar do cacau em pó.


Espero que gostem!
*Beijinhos
Aline Munhoz

INSTAGRAM: @ALINEMUNHOZ

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Equilíbrio entre consumo de ômega-3 e ômega-6 é essencial

O ômega-3 (ácido alfa-linolênico, ALA) é um ácido graxo poli-insaturado que não pode ser sintetizado pelo organismo, por isso deve ser adquirido pela alimentação. No organismo, por meio de diversas ações enzimáticas, é possível haver a formação de outros ômegas-3, os ácidos eicosapentaenoico (EPA) e o ácido docosahexaenoico (DHA). A partir do ALA, essa formação, porém, é limitada. O consumo de ômega-3 é essencial para a saúde, já que colabora para equilibrar os processos inflamatórios do organismo, melhorando o funcionamento celular.

                     
                                                                                                                                                                                        
O ômega-3 favorece a ação do sistema imunológico, ajuda a diminuir os níveis de triglicerídeos no sangue e o risco de doenças cardiovasculares. Contribui para o controle de processos inflamatórios e das dores provocadas por doenças reumáticas, além de ser essencial no funcionamento das células nervosas, auxiliando em desordens neurológicas. Os efeitos anti-inflamatórios são obtidos principalmente das substâncias formadas da metabolização do EPA e do DHA, como resolvinas e protectinas.

Já o ácido linoleico (LA) é um dos mais importantes da família do ômega-6 e no organismo pode formar o ácido araquidônico (AA), um constituinte da estrutura das membranas celulares, influenciando as funções plaquetárias e a pressão arterial. Também tem ação no desenvolvimento de mediadores bioquímicos que atuam nas respostas inflamatórias e no sistema de defesa. 

O ômega-6 é um nutriente importante para o organismo. No entanto, quando o consumo de alimentos fontes de ômega-6 é muito mais alto do que os que oferecem ômega-3 e do que o recomendado, pode haver um desequilíbrio que favorece o aparecimento de substâncias pró-inflamatórias, que em excesso podem ser prejudiciais ao organismo. “Sendo assim, o equilíbrio entre a ingestão de alimentos com ômega-3 e 6 é fundamental”, alerta a nutricionista da Nutravie, Andrea Stingelin Forlenza.

Com o aumento do consumo de EPA e DHA é possível ter um maior controle dos processos inflamatórios, uma vez que algumas doenças como Alzheimer, diabetes, obesidade, doenças cardiovasculares, asma e câncer são resultantes de processos inflamatórios inapropriados e crônicos. 

As principais fontes de ômega-3 EPA e DHA são os peixes de águas frias e profundas, como salmão, sardinha e arenque. Sementes de linhaça e chia, nozes também são opções para incluir o ômega-3, do tipo ALA, na alimentação. O ômega-6 (LA) é encontrado principalmente nos óleos vegetais, como milho, soja e girassol e o ácido araquidônico (AA) em carnes vermelhas.

Fonte: Andrea Stingelin Forlenza: nutricionista pós-graduada em Nutrição Clínica Funcional pela UNICSUL (VP Consultoria Nutricional). Pós-graduanda em Fitoterapia em Nutrição (Vanderli Marchiori). Atuação profissional em atendimento clínico nutricional na Nutravie Consultoria e Educação Nutricional. Farmacêutica-bioquímica graduada pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP).

*Beijinhos
Aline Munhoz

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

POR QUE DESINTOXICAR?

A INTOXICAÇÃO DO ORGANISMO se deve pelo contato com substâncias toxicas seja pela alimentação, inalação, contato pela pele ou por substâncias produzidas internamente pelo próprio organismo. Essas substâncias alteram o comportamento, desordenam as células e devem ser eliminadas pelo corpo, sendo 60% delas eliminadas pelo fígado.

Alguns sinais de intoxicação são: cansaço excessivo, fadiga mental, dores de cabeça, obesidade, irritabilidade e infertilidade.

Uma dieta de desintoxicação fornece ao fígado todos os nutrientes necessários para a eliminação de toxinas, promovendo uma "limpeza", e o resultado é a melhora de muitos dos sintomas, trazendo de volta o bem estar.

LIVRETOX RED: ESSENCIAL NA DESINTOXICAÇÃO



- Limpa o organismo e emagrece
- Estimula a saída de toxinas do organismo
- Desincha o corpo
- Alta concentração de antioxidantes graças a seus extratos ativos
- Produto natural e saudável para promover a eliminação das toxinas diárias
- Facilita o trânsito intestinal
- Presença de fibras prebiótica que estimulam o crescimento das bactérias benéficas ao intestino
- Renovação celular, beleza e rejuvenescimento provenientes do poder dos ingredientes selecionados
- Se consumido diariamente e combinado com uma alimentação saudável ajuda a cuidar do corpo de dentro para fora


LIVRETOX GREEN: DESINTOXIQUE-SE!



O tempo todo estamos expostos à poluição presente no ar, principalmente as pessoas que vivem nas grandes cidades. Associado a isso, o estilo de vida agitado acaba por desfavorecer a procura por uma dieta saudável. Acabamos, portanto, ingerindo grande quantidade de
produtos industrializados, que contêm enorme carga de conservantes, aditivos alimentares, resíduos de agrotóxico e outras substâncias nocivas ao organismo.

Muitas vezes, o processo natural de desintoxicação através da alimentação não é suficiente para eliminar estas substâncias, pois com a agitação do dia-a-dia fica difícil obtermos todos os nutrientes necessários nas nossas refeições. A complementação nutricional feita com vitaminas, minerais, aminoácidos são fundamentais para ajudar na metabolização e eliminação das toxinas, especialmente por proporcionar melhor funcionamento intestinal, fígado e rins,
responsáveis respectivamente pela desintoxicação e eliminação dos compostos tóxicos, reequilibrando e restaurando o organismo. Desintoxicar, limpar e depurar o organismo é a primeira iniciativa para regenerar o corpo, conquistar a saúde e eliminar os resíduos e toxinas
que se acumulam no nosso intestino.

Para fazer valer à característica desintoxicante, a bebida deve ter potencial de estimular o corpo, sobretudo o fígado, a eliminar as toxinas. Ingredientes de coloração esverdeada que encorpam a bebida, como couve, salsinha, espinafre, agrião, rúcula e repolho, são os
principais responsáveis pelos múltiplos benefícios. E o suco verde ainda diminui a retenção de líquidos a partir da melhora da circulação sanguínea e linfática. Neste contexto, quem se beneficia é a pele, que fica livre das celulites, por exemplo. O suco verde também é bem-vindo no cardápio de quem pratica atividade física e busca resultados estéticos. Uma dose da bebida é capaz de fornecer a energia e suprir as necessidades nutricionais de quem vai se exercitar,
já que combina fontes de carboidrato e nutrientes antioxidantes.


O Instantâneo Livretox também conhecido como suco verde serve para desintoxicar e é uma ótima maneira de eliminar toxinas do corpo, diminuir a retenção hídrica e conseguir mais vitalidade física e mental. Contém ingredientes ideais para restaurar a energia do corpo,
eliminando toxinas, fazendo com que o corpo funcione melhor. Livretox também auxilia na perda de peso.

*Beijinhos
Aline Munhoz

domingo, 17 de agosto de 2014

Dieta e atividades físicas para manutenção da saúde óssea

Uma alimentação balanceada e atividade física são fórmulas do sucesso para quem busca ter mais saúde e qualidade de vida, principalmente na opinião de profissionais da saúde. Saiba como a dieta junto de atividades físicas é fundamental para a manutenção da saúde óssea. 


Para uma melhor manutenção da saúde óssea é preciso ingerir vitaminas e minerais específicos, auxiliando no fortalecimento dos ossos. Entre alguns nutrientes que exercem efeito de forma significativa no desenvolvimento da massa óssea, estão o fósforo, cálcio, vitaminas D e K e o magnésio.

Estes precisam estar presentes na dieta, mas em quantidades adequadas. No caso do fósforo, do magnésio e do cálcio, eles são necessários para a mineralização óssea, que acontece ao longo da vida e por ciclos.  

Denominado “pico de massa óssea”, o primeiro ciclo ocorre até aos 28 anos de idade, onde há a maior formação do tecido ósseo. Com a ingestão adequada dos minerais na infância e adolescência, com o avanço da idade é possível reduzir o risco de sofrer fraturas.

É recomendado uma ingestão diariamente de cálcio em 1.000 miligramas, de magnésio é de 300 miligramas para adolescentes, 320 miligramas para mulheres, 400 miligramas para homens e 240 miligramas para crianças e de fósforo, de 700 miligramas. Após o segundo ciclo acontece a consolidação do tecido ósseo e por último, o ciclo de perda da massa óssea, que é quando os ossos começam a enfraquecer pela idade e quando todos os minerais consumidos durante o primeiro ciclo poderão fazer a diferença.   

A importância das vitaminas para a manutenção da saúde óssea

Com a vitamina D, que estimula a absorção do cálcio, ela regula o metabolismo do fósforo e ainda auxilia para a formação e a maturação do tecido ósseo. Especialistas recomendam uma ingestão diária de 600UI, mas lembrando que a absorção é melhor pela exposição da pele ao sol.

No caso da vitamina K, ela atua como uma facilitadora da ação das proteínas que estão no processo de mineralização óssea. No caso dos homens, o ideal é que eles tenham um consumo de 120 microgramas ao dia e as mulheres 90 microgramas diariamente.


Se você quiser atingir todas as recomendações de ingestão, é preciso se atentar aos alimentos que possuem uma maior quantidade de todos os nutrientes. Você encontra o cálcio em leite e seus derivados, além das bebidas à base de soja. A vitamina D você encontra em peixes e a vitamina K em vegetais da cor verde-escuros. O fósforo está presente em carnes e oleaginosas e o magnésio em frutas e hortaliças. 

 Mas é preciso ter um acompanhamento médico para que ele lhe indique os alimentos ideais para a saúde de seus ossos. Nesse caso, com um bom plano de saúde você pode encontrar excelentes médicos para orientá-lo e que ofereça um atendimento diferenciado e voltado às suas necessidades.

Alimentação x prática de atividades físicas duplicam benefícios à saúde óssea

Os exercícios de força e médio impacto, principalmente, contribuem para uma melhora na densidade mineral, evitando a perda de massa óssea conforme a pessoa vai envelhecendo. Sem contar que a atividade física melhora também a força, a flexibilidade das articulações e a massa muscular.

Uma ingestão inadequada desses nutrientes que estão relacionados à saúde óssea e ao sedentarismo, antecipa o aparecimento de algumas doenças bem comuns no envelhecimento, como a osteomalácia e a osteoporose, deixando o corpo poroso e gerando fraturas.

Portanto, se você deseja uma melhor saúde óssea, terá que praticar atividades físicas e ter uma alimentação balanceada, consumindo de forma adequada todos os nutrientes que estão ligados a uma melhora da saúde óssea. Ao adotar esses hábitos de vida saudáveis, você fortalecerá seus ossos e melhorará também a saúde de todo seu organismo, prevenindo assim doenças.

Imagem: www.revistaevidencia.com

*Beijinhos

Aline Munhoz